Agosto de 2020: FEMA inaugura Telemedicina na UPA

UPA de Assis implanta atendimento inovador com inteligência artificial na área de Cardiologia

O paciente que chegar no atendimento de emergência da Unidade de Pronto Atendimento de Assis (UPA) com uma suspeita ou mesmo sofrendo um infarto, agora tem um atendimento integrado com 70 médicos cardiologistas de grandes redes de tratamento do coração, com os melhores hospitais de São Paulo e do Brasil.

Trata-se de um projeto pioneiro de estratégia de telemedicina, com sofisticados sistemas baseados em inteligência artificial, que a Fundação Educacional do Município de Assis (FEMA), que administra a UPA, está colocando em funcionamento. Essa inteligência possibilita que os médicos da UPA Assis tenham acesso a uma retaguarda de especialistas de São Paulo, online e em tempo real.

Assis é uma das primeiras cidades do Brasil a ter esse programa instalado na rede pública de saúde, que tem como objetivo criar caminhos de apoio clínico aos usuários à distância. O primeiro módulo, que entrou em funcionamento há uma semana, é o de Cardiologia. Este tipo de tecnologia já funciona em diversos países e no Brasil também está implantado na rede privada de atendimento a pacientes que sofrem do coração.

O funcionamento é o seguinte: os equipamentos de eletrocardiograma da UPA estão integrados a um sistema de tecnologias à distância, que estão interligados pela base de dados da Inteligência Artificial.

No momento da realização do Eletrocardiograma, o exame é enviado de forma automática ao sistema de inteligência artificial, que interligar os médicos de Assis aos médicos especialistas de São Paulo, em tempo real e, caso os exames estejam alterados, a condução do caso passa a ser em conjunto do médico local com os médicos de São Paulo.

Para o prefeito de Assis, José Fernandes, “é muito grande a diferença do que a medicina já foi um dia e o que ela é hoje. Pensar que conseguimos realizar um atendimento com excelência, através da interatividade e conexão entre a UPA e os melhores centros de pesquisa e atendimento avançado do mundo, como o Hospital Israelita Albert Einstein, de São Paulo, é uma dinâmica linda que, da maneira como está sendo instrumentalizada, já tem mostrado resultados a cada dia que passa. Esses avanços da medicina e da sociedade refletem diretamente em nossas vidas e, com a ajuda dessa nova ferramenta da telemedicina, muito provável que nossa expectativa de vida aumente ainda mais e é essa a tecnologia que nós vamos ter aqui em Assis, interior de São Paulo, graças ao trabalho da FEMA na gestão da UPA”, comenta o prefeito.

O Programa é um reforço tecnológico para a área da saúde e ele tem salvado vidas. Isso porque o aumento da velocidade de diagnóstico e tratamento reduziu de 8% para 3% a mortalidade na rede privada que já faz uso da telemedicina, enquanto que na rede pública, 23% ainda morrem por infarto agudo do miocárdio.

De acordo com o presidente da FEMA, Arildo de Almeida, “estamos reestruturando e renovando fortemente todos os nossos cursos de graduação e a Saúde não poderia ficar fora desse projeto. O trabalho da telemedicina aqui na UPA já tem salvado vidas quase que diariamente. Recentemente, recebi a ligação do gestor da empresa da telemedicina que me relatou a emoção de um dos médicos especialista que prestou atendimento a um dos nossos médicos daqui e que pode salvar uma vida, graças a essa ferramenta. Isso não é só uma tecnologia, um programa de informática, é um processo que envolve a inteligência das pessoas que estão aqui com o apoio das pessoas que atuam remotamente”, finaliza o presidente.

A empresa responsável pelas instalações é a iSalut. Depois da inclusão da Cardiologia, outras especialidades também serão inseridas no programa. Além disso, a empresa também implantará ferramentas ágeis de gestão e ainda oferecerá uma plataforma de educação para médicos da UPA e aos alunos de Medicina da FEMA.

Share Button

Deixe uma resposta